terça-feira, 15 de janeiro de 2019

GODZILLA 3 NETFLIX, NÃO FOI COMO ESPERADO...

Godzilla da Polygon junto a Toho teve sua estréia na Netflix e foi o último filme da trilogia, mas parece que algo se perdeu ou tentaram explicar demais, confira.

Neste final de semana consegui sossego em meu sofá e fui conferir a nova animação da Toho Animation e Polygon Pictures que foi o 3º filme em animação de Godzilla com título de Godzilla: The Planet Eater e confesso que gostei do primeiro afinal era o primeiro filme em animação misturando CGI com anime, o segundo com algumas batalhas e explicações de acontecimentos, mas o terceiro filme, confesso que dormi no meio, mas calma que tem uma explicação.

Bem como estava bem cansado no dia poderia ser isso o motivo de ter dormido, então no dia seguinte voltei a assisti-lo e para minha surpresa o filme não tinha mudado em nada ou seja, não bateu nenhum pouco com minhas expectativas, sei que teve muita analogia, referências até mesmo ao filme antigo onde Godzilla enfrenta pela primeira vez King Ghidorah, mas se você está acostumado com as batalhas do gigante no primeiro e segundo filme, esqueça porque infelizmente não foram como esperava, sei que certas partes do filme ou situações merecem uma explicação, porém neste terceiro filme há muita mas muita explicação, tanto que parece que o filme parece se tornar outro.


Há tanta explicação do porque de King Ghidorah e a religião e tudo mais que chega a ficar tedioso e algumas cenas se prolongam muito e é nessas partes que você tem de tomar cuidado para não ser pego pelo Morpheu, não minto que a animação continua demais os efeitos também, a música e todo restante porém se aprofundam tanto naquilo de religião que se quase perde o interesse no filme onde você quer ver Godzilla assim como foi mostrado nos dois primeiros filmes.

Há certos momentos onde você tem pequenas cenas onde mostram acontecimentos e até referências bem legais mas você terá de ficar atento, inclusive um momento com outro Kaiju que esperava ver mesmo neste filme porém é mostrado somente por segundos e não se vê mais o que achei mito triste e garanto que muitos dos fãs queriam ver o Kaiju em ação ali no meio da luta de Godzilla vs. King Ghidorah.


Acho que o problema que eu encontrei ali foi de o filme se aprofundar demais em explicações e um modo diferente de querer mostrar o que está acontecendo entre Godzilla e King Ghidrah, o problema foi ao meu ver diálogos demais o que deixou o filme arrastado e um tanto tedioso, porém com decorrer do filme, quando você espera que tenha alguma ação e quando ela se inicia  termina e termina de maneira rápida, rápida até demais e aí temos o final e que final meus amigos, um final que em algumas partes é mostrado o futuro e volta um pouco das explicações, aí temos a pergunta pode ter uma continuação? Talvez quem sabe um dia, mas que não seja com tantos diálogos, alguns podem até me dizer "Ah mas o Godzilla novo da Legendary aparece somente 10 minutos no filme todo" sim mas ele em ação né.


Então não desvalorizo de jeito nenhum está animação e muito menos as outras 2 e torço para vir mais, mas sem muitas explicações e diálogos de dar sono por favor e um Godzilla com mais ação também e claro, não pode faltar seus inimigos clássicos que são muitos mas muitos mesmo, então minha nota para este filme infelizmente será 6.0 apesar de gostar demais de Godzilla, pois acho que com todo o circo armado nos outros filmes poderia ter um "final" ou terceiro filme com mais ação de Godzilla ou até dos outros monstros, mas aguardemos quem sabe não venha uma nova animação com novas ameaças.

Então se você está curioso com o filme assista não leve em conta a minha opinião ou de outro site como absoluta e sim crie a sua, afinal você pode ver coisas que muitos não viram ou entender muitas que não entenderam, mas se você é fã não deixe passar esta animação desapercebida, afinal muitos assistiram até mesmo o Godzilla Nova Iorquino para saberem se era bom, então se for conferir de aquela procurada básica no catálogo da Netflix que ele estará lá ok.



Nenhum comentário:

Postar um comentário